Rua Pedro Raiol, 328

Bairro: Centro - Vigia, PA

CEP: 68.780-000

E-mail: vigiapara400@gmail.com

 

© 2016 por INFOGRAFIC.

Orgulhosamente Vigiense

  • Google+ Clean
  • Twitter Clean
  • facebook

O roubo da imagem da padroeira de Vigia, culminou no mais emocionante ato de fé do povo vigiense.

O roubo que a igreja sofreu na madrugada de 10 de fevereiro de 1977. Vigia, conhecida como “a cidade que não dorme”, dessa vez, cochilou. Foram levadas as imagens de Nossa Senhora de Nazaré e a de São Luiz Gonzaga.
Durante os dias em que a Santa ficou desaparecida a cidade de Vigia parou. Os pescadores já não saíam para a pescaria e os comerciantes não abriam as portas, enquanto não tivessem a padroeira de volta.
O caso obteve repercussão na imprensa nacional e contou com um incessante trabalho de investigação policial, apoiado por inúmeras pessoas solidárias à causa. Até recompensa foi oferecida para quem prestasse informações sobre o paradeiro57.
Na época, o prefeito da Vigia era o professor José Ildone Favacho Soeiro. O vigário era o padre Manfredo Knossala.
Por fim, as pistas levaram a polícia até os ladrões, que foram presos. A mulher de um deles declarou que a Santa ia ser queimada, mas, por pouco, isso não aconteceu.
A imagem da Santa foi encontrada quatro dias depois do roubo, num matagal, próximo a uma mercearia, na Rodovia BR 316, em Ananindeua. Tinha sido deixada num monturo. Já a imagem de São Luiz Gonzaga, que era de massa, foi jogada num córrego, e se decompôs.
Quando a santa regressou à Vigia, em 14 de fevereiro, o povo fez uma festa de recepção como nunca se tinha visto58. A partir daí, essa data passou a ser considerada feriado municipal, em comemoração ao “dia do achado da Santa”.

Em 14 de fevereiro de 1977, após dias de muita aflição por parte do povo vigiense (que nessa época quase que em sua totalidade católica), a imagem de Nossa Senhora de Nazaré retorna para os braços de seus filhos.
Após o roubo da “santinha” verdadeiros exércitos e comitivas dos diversos setores da sociedade, mobilizam-se em buscas de seu símbolo sagrado, busca essa que se estende por diversos municípios das regiões vizinhas. Depois de dias de procura e investigações, é encontrada a imagem da santa em estado bastante precário, em um galpão abandonado aos arredores de uma cidade da região metropolitana de Belém.
Na volta pra cidade, uma imensa corrente de emoção gerou uma madrugada de festa, fogos, procissões e até missa celebrada pelo pároco da época Padre Manfred Knosala. Este dia 14 de fevereiro, vira feriado municipal e entra pros anais da história Vigilenga.

"Desmaios, gritos, cenas de histerismo e fogos de vista marcam o retorno da imagem de Nª Sª de Nazaré a cidade de Vigia..(....) Alta madrugada, houve uma longa procissão e missa em ação de graças, realizada em agradecimento à volta da imagem ao seu nicho." - Jornal A Provincia do Pará, 15/02/1977.

Em 1977, a igreja matriz de Vigia sofre o mais conhecido assalto de sua história. Após quatro dias de muita procura pelo povo vigiense, foram achadas em 14 de fevereiro as imagens de Nossa Senhora de Nazaré e a de São Luis no município de Ananindeua. Fato que ficou conhecido como “O achado da santa”.
Na Fotografia do Jornal A Província do Pará, vemos o momento em que a imagem de São Luis Gonzaga é resgatada por um grupo de vigilengos devotos.