Rua Pedro Raiol, 328

Bairro: Centro - Vigia, PA

CEP: 68.780-000

E-mail: vigiapara400@gmail.com

 

© 2016 por INFOGRAFIC.

Orgulhosamente Vigiense

  • Google+ Clean
  • Twitter Clean
  • facebook

Descritos de forma peculiar, pelos articulistas do Jornal “O Espelho”, os jornalistas vigienses Manoel Epaminondas de Vasconcelos Palheta e Augusto Ramos Pinheiro.
O semanal de todos os domingos que noticiava, de forma crítica e irônica, as mais diversas situações do cotidiano vigiense dos anos de 1878 e 1879. Tinha como slogam, a frase: “Tremei, o’ corruptos da época”. Mudado posteriormente para “Amor amore compensatur” – “Amor se paga com amor”. Descrevendo assim, os costumes, os desafios e estilo de vida dos munícipes daquele período.

Jornal "O Espelho"

Poema "Aquelas Madrugadas" da Professora Ester Nunes Bibas.
Extraído do jornal "O Vigilense", de outubro de 1964

Jornal "O Vigilense"

Jornal "O Pescador"

Jornal "O Cinco de Agosto"

Jornal "Folha do Salgado"

Jornal "Informativo Cabano"

Jornal "O Atheneu"

Primeira das quatro páginas do tablóide "O Atheneu", organizado, impresso e distribuido pelo Profº. Bertoldo Nunes, comemorando a Adesão da Vigia de Nazaré à Independência do Brasil. Lançamento em 31 de agosto de 1899. Texto de Bertol Nunes, Profª. Rosalina Álvares, Cantidiano Nunes, Antônio Alves de Souza Júnior e poemas de J. Marques de Oliveira e Dr. Elias Viana.

Jornal "O Farol"

O Liberal da Vigia

Depois do “O Vigiense”, o primeiro jornal do interior da província do Grão Pará lançado em 1852, foram muitos os periódicos que circularam pelas mais cultas esquinas desta heroica e literária cidade. Tanto no século XIX como no século XX estes jornais eram ferramentas de primordial importância na instrução e simples informação da população. Da mesma forma um veiculo de interação com outras regiões do país. Jornais de cunho crítico, literário e noticioso, tinham um dialogo franco dedicado ao esclarecimento e benefícios do povo. “O Vigilante”, “O Liberal da Vigia”, “O Orvalhe”, “O Espelho”, “O Ateneu”, “O Século XX”, “Cidade da Vigia”, a meio de tantos. Bem como, os de fundo religioso como “O Apóstolo” e “O Publicista”. Já durante o século XX, “O Lusco-Fusco”, “O Cinco de Agosto”, “Gazeta da Vigia”, “O Critério”, “O Vigilense”, “O Pescador”, entre outros, foram periódicos conceituados e de bastante repercussão dentro e fora de nosso município.
Na imagem, vemos o cabeçalho do jornal “O Liberal da Vigia” de 20 de maio de 1888. Publicação semanal de propriedade do Sr. Raimundo Marques de Oliveira.

Jornal "Vigiai"

Leia o periódico em PDF "O Espelho" completo edição do ano de 1878.  

Leia o periódico em PDF

"O LIBERAL DA VIGIA"

completa edição do ano de 1882.  

Revista  "Agenda do  Salgado"

Vigia foi a terceira cidade a apresentar um jornal no Pará 7 . Teve 23 jornais no século XIX. Foram eles: O Vigiense (1852-?), O Boquinha de Moça (1856-?), O Publicista (1874-?), O Vigiense (1874-1879), O Liberal (1876-?), O Vigilante (1876-?), O Liberal da Vigia (1877-1888), O Orvalho (1877-1878), O Espelho (1878-1879), A Boquinha de Moça (1879), A Bussola (1881-1882), O Município de Vigia (1882-1884), O 31 de Agosto (1883), 28 de Setembro (1884-?), O Crepusculo (1886-?), Iracema (1886-?), A Borboleta (1887-?), A cidade de Vigia (1890-1896), Cinco de Agosto (1892), A Luz (1892-1893), Echo do Norte (1893-?), A Lucta (1893-1894) e A Estrella (1899-?) (BIBLIOTECA PÚBLICA DO PARÁ, 1985). Atualmente, apenas O Liberal da Vigia, O Espelho e Cidade da Vigia estão no acervo da Biblioteca Pública Arthur Vianna e na Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional. Esses jornais trazem marcas e vestígios da imprensa da cidade que estão perpassados por políticas e agendamentos próprios do momento em que a pequena cidade no nordeste paraense passava, não somente ela, mas todo o país.

O Começo da Imprensa no Pará também tem Vigia como uma das   precursoras

Jornal "Cidade da Vigia" Sécuo XVIII