Rua Pedro Raiol, 328

Bairro: Centro - Vigia, PA

CEP: 68.780-000

E-mail: vigiapara400@gmail.com

 

© 2016 por INFOGRAFIC.

Orgulhosamente Vigiense

  • Google+ Clean
  • Twitter Clean
  • facebook

Contextos históricos do Clube União Vigiense

Foto da Banda União Vigiense no ano de 1910 em Frente a Igreja Madre de Deus em Vigia, PA.

Música & Imagem - Documenta | Clube Musical União Vigiense

 

Em 13 de maio de 1916 surgiu o Clube Musical União Vigiense, foi fundado por um grupo de desistentes do Clube Musical 31 de Agosto, com apoio de comerciantes locais, seu primeiro presidente foi, Clarindo Palheta, e o primeiro mestre, Tertuliano Zacarias Palheta, receberam o apoio de Constâncio da Silva Gaia que se manifestou em fundar outra banda de música com a colaboração de outros como: Mâncio Ataíde, Raimundo Nonato Alves, Raimundo Napoleão de Sousa, Leopércio Mira e José Esteves, sendo muito os comerciantes que contribuíram para a aquisição de instrumentos e progresso da União. A primeira Banda era composta por 25 Músicos.

O Clube Musical União Vigiense desenvolve vários trabalho na comunidade vigiense e interior desse município, fazendo apresentações em praças e teatros, além de acompanhar os cortejos das procissões de Círio de quase todas as localidades vizinhas ao município de Vigia de Nazaré e também na capital.

 

​O Clube Musical União Vigiense, em 1978, sob a regência do maestro,Dalmácio Siqueira, participou do II Campeonato Nacional de Bandas, promovido pela FUNARTE.

 

​O Clube Musical União Vigiense já viveu momentos de sucesso e de dificuldades, no final da década de1980 a Fundação Carlos Gomes, órgão do Governo do Estado do Pará, passou a dar apoio Técnico Pedagógico, dando uma melhora e qualidade na Banda de Música.

Segundo simpatizante do Clube Musical União Vigiense, que por volta de 1979, já participava de eventos fora do município de Vigia de Nazaré. Conquistando o 2º lugar no II Encontro de Bandas de Música do Pará.

Em 21 de abril de 1981 o Clube Musical União Vigiense participou dos Festejos de Aniversário de 21 anos da Capital Federal. Os convites apareceram de imediato para apresentação em festejos de Círios da Capital e Interior do Estado, participou em atividades culturais da Universidade Federal do Estado do Pará e outros promovido pelo MEC, em Belém.

A escola de música foi reativada depois de longo tempo, em março de 1981começaram as atividades em uma Escola Estadual “Comandante Castilho França, situado à Rua Lauro Sodré no Município de Vigia de Nazaré Estado do Pará. Os resultados não demoraram a aparecer e a escola garantiu a renovação do quadro de músicos e a banda tornou-se mais harmoniosa e tecnicamente melhor.

Algum tempo, mas tarde a escola passou a funcionar em um casarão a Rua de Nazaré, cedido pelo Sr. Américo Pereira, antigo colaborador e Irmão do Cunhado de Serafim dos Anjos Raiol Filho, Raimundo de Mira Pereira.

Em 1984, foi iniciada a construção da atual sede, em um terreno cedido pela Prefeitura Municipal do Município de Vigia de Nazaré, na gestão do Prefeito José Ildone Favacho Soeiro.

Em 1990, assinou convênio com a Fundação Carlos Gomes, sendo a primeira banda a integrar o projeto de interiorização, possibilitando a integração de seus músicos em cursos de especialização e apresentações de grupos musicais com artistas brasileiros e estrangeiros na cidade de Vigia de Nazaré, como podemos citar cursos ministrados pelo PHD em Regência Martin Bergee, Holly Copland e Berry Ford da Universidade de Missouri (EUA), Maestro Zem Obara (Japão), Maestro Andy Pereira de São Paulo, Quinteto Brasil e Quarteto de Trombone da Universidade da Paraíba, e cursos ministrados pelos Professores Gabriel Galo e Daniel Parriello da Argentina, Oleg da Rússia e Ricardo Cabrera da Colômbia.

Em 1992, gravou um clipe para TV cultura; em 1995 participou do programa gente que faz, da TV globo. Nesse mesmo ano os monitores da escola de música da união participaram do festival internacional de música de londrina no Estado do Paraná.

Em 1996, participou do centenário da morte de Carlos Gomes na Assembléia Legislativa, no qual executou a Protofonia da Ópera “o Guarany”. Nesse mesmo ano, o Clube Musical União Vigiense, participou das festividades de Natal em Belém Estado do Pará, tocando em um Bombinho na maioria das ruas da Capital Paraense.

O Clube Musical União Vigiense, representou a Amazônia no concurso de Bandas de Música realizado em Brasília, promovido pelo Rotary Internacional, ficando em Quarto Lugar.

Em 1998 apresentou-se em salvador (pelourinho) Bahia, um dos momentos marcantes da união vigiense foi a participação do trombonista Fernando André na cerimônia de abertura dos jogos olímpicos de Sidney em 2002 (Austrália).

Em 2000, o Clube Musical União Vigiense gravou um clipe para o Governo do Estado do Pará com a (mensagem de Natal).

Entre 2002 a 2007, participou da abertura do festival internacional de música do Pará, no teatro da estação das docas e nas alvoradas musicais na capital paraense

Em julho de 2002, participou do campeonato internacional de esportes aquáticos no teatro da estação das docas, e a inauguração do estádio olímpico do Pará (mangueirão); em maio do mesmo ano, a banda participou da gravação de um cd, com repertório de hinos pátrios.

Entre 2002 a 2005 participou como anfitriã dos encontros de bandas da região do salgado, na cidade de Vigia de Nazaré, reunindo cerca de 500 músicos de localidades vizinhas.

Em abril de 2006, participou da gravação de um clipe para rede de TV amazona Sat com uma programação da tribo Sat. Nesse mesmo ano, ocorreu a formatura da primeira turma do curso de graduação em música, da Universidade do Estado do Pará, Núcleo Universitário de Vigia, da qual quase todos os formandos eram músicos do Clube Musical União Vigiense.

Um dos fatos muito importante que podemos citar, é que os músicos que saíram do Clube Musical União Vigiense, está empregado: em orquestras e bandas militares de todo o país, dando valor a esses jovens, com uma expectativa de vida mais saudável, e uma grande ênfase ao Clube musical União Vigiense, com uma qualidade de trabalho de mais aceitação quando se fala na banda de música do município de Vigia de Nazaré.

 

O Estatuto do Clube Musical União Vigiense foi aprovado no de 1916, e em 16 de março de 1942, Fenelon Cleofas e Serafim dos Anjos Raiol Filho reformularam o estatuto da banda que era formada por 25 músicos, uma escola de música e um quadro de sócios, honorário e benemérito e alterado em 14 de junho de 1997.

Em 04 de março de 2008, Hédrios Frank Silva Raiol- Presidente, Marinildo Pereira da Silva- Vice-Presidente e Regente, Kelso Palheta Monteiro- Secretário atualizaram, o estatuto do Clube Musical União Vigiense de acordo com o Novo Código Civil. Tendo como Capítulo segundo o seu estatuto:

I- Da denominação e fins.

Art. 1º - O Clube Musical União Vigiense, fundado na cidade de Vigia de Nazaré, em 13 de maio de 1916, é uma associação civil de direito privado sem fins lucrativos ou econômico, apartidária, livre e sem discriminação, com sede foro em Vigia/Pa, personalidade jurídica e patrimônio próprios e duração por tempo indeterminado.

Art. 2º - São fins principais do Clube Muiscal União Vigiense § 1º- Primar pela Educação e o desenvolvimento da cultura musical entre associados e comunidade; § 2º- Manter uma Escola de Música; § 3º - Manter uma Banda Musical com a mesma denominação social, ou seja, Clube Musical União Vigiense; § 4º- Promover, dentro de suas possibilidades o engrandecimento social e cultural da Vigia.

O novo estatuto do Clube Musical União Vigiense foi aprovado em Assembléia Geral no dia 14 de junho de 1997, e atualizado segundo as normas do Código Civil Brasileiro em 04 de março de 2008.

A Diretoria do Clube Musical União Vigiense é formada por: Presidente, Vice- Presidente, Secretário, Tesoureiro, Relações Pública e o Regente da Banda que exercer o cargo por nomeação.

O Presidente do Clube Musica Musical tem todo o poder de efetuar acordos e convênios com atividades ou instituições de caráter público: Federal,Estadual,Municipal,Comercial ou Civis, a fim de conseguir recursos necessários para provimentos e execução de seus objetivos.

”A Banda de Musica é um fenômeno histórico e sociológico tão importante quanto fenômeno artístico, a banda de música vive hoje, em muitos lugares, em estado de latência. Não deixa, porém, de desempenhar importante papel de mobilizadora da comunidade nos seus momentos mais caros e solenes; de cumprir o papel de escola livre de música, verdadeiro conservatório do povo; de manter-se como guardiã da tradição musical popular brasileira. A banda de música ainda é a mais antiga e menos estudada instituição ligada à criação e divulgação da música popular”.( Salles, 2004 p.222).

 

 

BILBIOGRAFIA

 

 

 

RUMMEL, Francis J, apud SÃO PAULO (ESTADO), 1990.

 

http://ged.capes.gov.br/AgDw/silverstrean/pages/frPesquisaTeses.html

Acesso em 27/09/2008 às 16:47.

 

IBGE, Portal de Vigia de Nazaré, VIGIA DE NAZARÉ (CENSO)2000.

 

KEMP, Anthony E.; Introdução à investigação em educação musical, 1992.

 

ILDONE José. Noções de História da Vigia. CEJUP,1991.

 

SALLES, Vicente. Sociedade de Euterpe: as bandas de música do Pará. Brasília, Editora do autor,1985.

 

HARNONCOURT, Nicolas. O Discursos dos Sons. JORGE ZAHAR EDITOR, 1998.

 

ELIAS,Norbert. Mozart Sociologia de um Gênio. JORGE ZAHAR EDITOR, 1994.

 

http:// www. Funarte.gov.br/novafunarte/funart/musica/bandas.php# topo

acesso em 17/11/2008 às 11:04.

 

http: // www.anovademocracia.com.br/idex.php/ a–banda-de-musica-e-a-alma-do-povo.html. Acesso em 17/11/2008 às 10:17.

 

CLUBE MUSICAL UNIÃO VIGIENSE, Estatuto. Vigia de Nazaré (Pará), 2008.

 

MARIZ, Vasco. História da Música no Brasil: 5ª Edição Ampliada e Atualizada. EDITORA NOVA FRONTEIRA, 2000.

 

JORNAL, O Lusco-Fusco, 1ª Edição. Natal: Vigia (Pará) 1921.

 

JORNAL, O Lusco-Fusco, 2ª Edição. A Noite: Vigia (Pará) 1921.

 

JORNAL, O Lusco-Fusco, 4ª Edição. Meia Noite: Vigia (Pará) 1923.

 

TINHORÃO, José Ramos. História Social da Música Popular Brasileira: 1ª Edição, Ampliada e Atualizada. EDITORA 34 Ltda, 1998.

 

JORNAL, Vigiai, Ano 01.5ª Edição. Coreto: Vigia (Pará) 2008.

Quem nunca seguiu a banda quando criança?
Na imagem vemos a Banda União Vigiense passando pelas antigas esquinas da cidade (esquina da Trav. Generalíssimo com Rua Noêmia Belém). Década de 1980.

Na imagem de maio de 1937, em Soure no Marajó, vemos a Banda União Vigiense, que na ocasião fez um regozijo em homenagem aos cinquenta anos de matrimônio do Sr. Romão, pecuarista daquela localidade. Os músicos presentes, adornados com quepe e botas de cano longo posaram para a posteridade. Em pé (da esquerda para direita) estavam João Borracha, Paturi, Elias, Raimundo Zacarias, Timico e Pimpão. Ao meio estavam Raimundo Sousa, Raimundo Rodrigues, Isaú, Otacílio, Demétrio, Raimundo Silva e João Silva. Já sentados estavam os músicos Serafim Raio, Saracura, Nelson Sousa, Passarinho (o menino com o triangulo), Quelé, Vitor Luiz, João Pimpão e Cícero Raiol.